Detran DF

 A ABHA alerta que o diagnóstico deve ser realizado por cirurgiões-dentistas qualificados para que a causa seja corretamente identificada e o tratamento direcionado com eficácia

De acordo com dados da Associação Brasileira de Halitose (ABHA). 57 milhões de brasileiros - o que representa 30% da população do país - são atingidos de forma ocasional ou crônica pela halitose, mais conhecida como mau hálito.  O mau hálito é um sinal ou sintoma de que algo está em desequilíbrio no organismo e pode estar associado a alterações bucais simples e facilmente tratadas, ou a problemas de saúde complexos como o câncer, por exemplo. Com isso em vista, a ABHA lançou a campanha nacional do combate ao mau hálito no dia 22 de setembro.

“É muito comum que a pessoa que está com a alteração não perceba seu mau hálito. Isso acontece porque as células do nariz se acostumam com os cheiros após algum tempo”, afirma a ex-presidente da Associação Brasileira de Halitose, atual conselheira, Dra. Cláudia Gobor, cirurgiã-dentista. Daí a importância de conversar com o amigo ou com a pessoa que está com o hálito alterado. Por isso, a ABHA disponibiliza o SOS Mau Hálito, um serviço gratuito de utilidade pública. “Algumas pessoas acham constrangedor avisar a alguém que ela está com halitose, como se estivesse atestando que essa pessoa não tem uma boa higiene bucal, mas nem sempre é esse fator que leva ao mau hálito. Foi pela presença desse tabu que a ABHA desenvolveu esse sistema”, explica Gobor. Para conhecer o SOS Mau Hálito, basta acessar: http://www.abha.org.br/sosmauhalito.

Na hora de buscar tratamento é bastante comum que as pessoas não saibam qual profissional recorrer. Um dos motivos é que culturalmente a alteração do hálito está associada pela maioria a problemas estomacais ou a falta de higiene bucal. Na verdade, alterações no hálito provocadas pelo estômago respondem apenas a cerca de 2% dos casos. 90% têm origem bucal e as causas podem ir muito além de questões relacionadas à higiene. Por isso, “o cirurgião-dentista qualificado é o profissional indicado para diagnóstico e tratamento”, afirma a especialista. Embora existam situações onde uma integração entre a área odontológica e outros profissionais de saúde sejam necessárias, em especial para o tratamento da halitose extra bucal, o cirurgião-dentista qualificado está preparado para diagnosticar, orientar e acompanhar estes casos.

Então, com o objetivo de conscientizar a população sobre o mau hálito, seu diagnóstico e tratamento, a ABHA Associação Brasileira de Halitose estabeleceu 22 de setembro como o Dia Nacional do Combate ao Mau Hálito e anualmente organiza uma campanha que começa nesta data e segue até o dia 25 de outubro, quando se comemora o Dia do Cirurgião Dentista. Para difundir as informações por todo o País, a campanha conta com a adesão dos cirurgiões-dentistas membros da ABHA espalhados em mais de 20 estados do Brasil.

Cláudia Christianne Gobor

Cirurgiã Dentista especialista pelo MEC no tratamento da Halitose

Ex-Presidente da Associação Brasileira de Halitose e Atual Conselheira Consultiva

https://www.bomhalitocuritiba.com.br/

Rua da Paz, n° 195, Sala 102, Mab Centro Médico, Centro/ Alto da XV, Curitiba- PR

(41) 3022-3131

Whatsapp: (41) 99977-7087

Instagram: @Claudiacgobor

Facebook: @ClaudiaCGobor

Youtube: Claudia Gobor

Share To:

Folha do Planalto

Comentar:

0 comments so far,add yours

Comentários ofensivos serão deletados.