IESB

Adasa reúne autoridades para lançamento de campanha e painel informativo



Nesta quarta-feira (8/6), a Agência Reguladora de Águas, Energia e Saneamento Básico do Distrito Federal (Adasa) lançou, em parceria com o Serviço de Limpeza Urbana (SLU - DF), uma campanha sobre o descarte de resíduos provenientes de pequenas obras. Além disso, também foi lançado o Painel de Informações de Resíduos Sólidos, uma ferramenta que já está disponível no site institucional da Agência e apresenta de forma objetiva e acessível os dados relacionados à gestão de resíduos sólidos urbanos no DF

Fotos: Paulo Melo.
 
Cerca de 80 pessoas, entre representantes e autoridades de diversas instituições do governo e terceiro setor, participaram do evento. Compuseram a mesa de abertura, o secretário de Obras do Distrito Federal, Luciano Carvalho; o presidente do SLU, Silvio Vieira; o presidente da Federação de Indústrias do Distrito Federal (FIBRA), Jamal Bittar; e o diretor do Sindicato Indústrias Construção Civil do DF (Sinduscon -DF), João Carlos Lopes, além do diretor presidente da Adasa, Raimundo Ribeiro e demais diretores, Apolinário Rebelo, Felix Palazzo e Jorge Werneck,
 
Na fala de abertura, o diretor da Adasa, Apolinário Rebelo, destacou a importância das ferramentas de informação apresentadas. "Temos feito campanhas em vários momentos do ano. Campanhas sobre a chuva, a estiagem, o descarte de lixo. Mas é a primeira vez que lançamos uma campanha sobre o descarte de resíduos de obras, em um período extremamente importante, que é o período seco, onde a construção civil avança bastante no Distrito Federal. Além disso, o mundo vive um momento diferenciado, encerrando a fase mais crítica da pandemia, o que também estimula a retomada de construção e torna ainda mais necessário fazer um alerta mais contundente, um chamamento, esclarecimento, uma mobilização para o descarte correto de resíduos da construção civil", explicou Rebelo.
 
A campanha, que é voltada especialmente para o cidadão que realiza suas pequenas obras e reparos em casa, tem como objetivo tornar conhecido e incentivar o uso dos equipamentos de descarte desses resíduos: os papa-entulhos.
 
Para o presidente do SLU, a iniciativa demonstra que a Adasa não só fiscaliza, mas participa ativamente da orientação da população sobre o descarte correto de resíduos de obras. "Estamos na semana do meio ambiente, o que torna ainda mais oportuno o lançamento desta campanha. O descarte correto desses resíduos deve ser uma preocupação coletiva. Não apenas do gestor, mas do cidadão. Pois o descarte correto, além de contribuir para o meio ambiente, para o bom funcionamento da cidade, ainda contribui para que os materiais entregues tragam retorno financeiro para aqueles que trabalham com a reciclagem desses resíduos", enfatizou Vieira.
 
O secretário de Obras e Infraestrutura, Luciano Carvalho, lembrou que a construção civil é um dos grandes motores da economia e a secretaria tem atuado para dar estrutura e condições às pessoas, seja pela geração de empregos ou pelo melhoramento dos equipamentos públicos. "Essa campanha educativa é uma excelente iniciativa, porque impacta diretamente em diversas áreas do governo. E a iniciativa privada também é muito bem-vinda nesse contexto. Vejo, com muita importância, a reciclagem desse material. Precisamos evoluir nesse quesito da sustentabilidade e pensar em formas de aproveitar o uso desses resíduos reciclados nas próprias ações de governo", afirmou Carvalho.
 
O diretor presidente da Adasa, Raimundo Ribeiro, encerrou o evento ressaltando a importância das parcerias e agradecendo todas as instituições. "Nós somos um só. SLU. Sema. Terracap. Demais secretarias. O cidadão, que é o nosso patrão, não quer saber qual é a instituição responsável por aquele serviço ou quem é o responsável por aquela instituição, ele quer saber que horas aquele serviço será entregue. Então, quando a Adasa se propõe em não apenas normatizar ou regular, queremos demonstrar que a nossa disposição é essa, porque o nosso entendimento é que o nosso dever é conjunto. Sozinhos, não conseguimos fazer nada. Se nós trabalharmos coletivamente, com certeza seremos mais produtivos para a sociedade. Quando buscamos parcerias com FIBRA, SESC, SENAI e Sinduscon, lembramos que as pessoas que não estão no governo também querem colaborar", finalizou.

Postar um comentário

Comentários ofensivos serão deletados.

Postagem Anterior Próxima Postagem