Bio Caldo - Quit Alimentos

Governo de Goiás reforça inclusão social durante final da Taça das Favelas

Campeonato promove educação, esporte e inclusão social por meio de incentivo às equipes masculinas e femininas. (Foto: Breno Cardoso/Reprodução Instagram)
Campeonato promove educação, esporte e inclusão social por meio de incentivo às equipes masculinas e femininas. (Foto: Breno Cardoso/Reprodução Instagram)

"A única visibilidade que a favela tem é pela Taça", afirma capitão do Orlando de Mores


O fator de transformação e inclusão social do esporte foi destacado pelo governador Ronaldo Caiado, neste sábado (18/11), no Estádio Antônio Accioly, em Goiânia, durante as finais da Taça das Favelas Goiás. O torneio é o maior campeonato de futebol do mundo entre comunidades.

Por Petras Souza - Agência Cora Coralina

"É uma maneira muito inteligente de despertar o interesse no esporte e acolher famílias mais carentes, nas regiões mais humildes", enalteceu Caiado, que estava acompanhado do ministro dos Esportes, André Fufuca.

"Estamos criando pessoas qualificadas, sempre na ética, e no compromisso de buscar melhoria na qualidade de vida das famílias", acrescentou o governador ao frisar que apoia o campeonato, cujo diferencial é a transformação social.

O capitão Pedro Henrique, conhecido como PH, enfatizou que o torneio proporciona visibilidade às favelas, criando oportunidades para jovens como ele. PH, que teve sua vida transformada pelo esporte, destaca o futebol como uma chance para os habitantes de comunidades mostrarem talento e alcançarem um futuro promissor.

Governador Ronaldo Caiado e vice-governador Daniel Vilela durante as finais da Taça das Favelas Goiás, levantando o troféu de Campeã de Futebol Feminino (Foto: André Saddi)
Governador Ronaldo Caiado e vice-governador Daniel Vilela durante as finais da Taça das Favelas Goiás, levantando o troféu de Campeã de Futebol Feminino (Foto: André Saddi)

Além disso, a Taça das Favelas é reconhecida como um divisor de águas para o futebol feminino em Goiás, permitindo que as jogadoras demonstrem sua habilidade e contribuindo para desafiar estereótipos de gênero. Patricia Menezes, gestora do time Gentil Meireles, vencedor na categoria feminina, destaca o impacto positivo do torneio no cenário esportivo feminino local.

A experiência na Taça das Favelas vai além do esporte, tornando-se um elo familiar para jogadoras como Eliene Alves e sua filha Karine Alves. A participação conjunta delas no torneio ressalta a importância do evento não apenas como uma competição esportiva, mas também como uma oportunidade para fortalecer laços familiares e inspirar futuras gerações.

Em 2022, o time de Goiás alcançou o vice-campeonato na etapa nacional. A equipe foi recebido no Palácio das Esmeraldas.

Taça das Favelas


Reconhecida no país inteiro e executada nos moldes dos maiores eventos esportivos do país, a Taça das Favelas realizou 15 finais simultâneas em diversos estados brasileiros.

Neste ano, cerca de 19 mil jovens participaram das peneiras de seleção em todo o estado e 209 comunidades integraram a disputa.

Nos jogos das finais goianas, as comunidades Orlando de Morais e Gentil Meireles, ambas da capital, conquistaram as taças nas categorias masculina e feminina, respectivamente.

"Ampliamos nossas ações na área do esporte e, agora, temos condição de fazer com que Goiás chegue a pódios, seja no futebol, no vôlei, enfim, nas mais variadas modalidades", acrescentou Caiado.

O Governo de Goiás valoriza os atletas com o pagamento da Bolsa Pró-Atleta e a ampliação da iniciação esportiva via projeto Construindo Campeões. Além da realização de eventos como os Jogos Abertos de Goiás que abrange 18 municípios goianos.

O ministro do Esporte, André Fufuca, endossou que o incentivo público, neste evento e em outras frentes, soma para a inclusão de mais jovens no meio esportivo. "Movimenta mais de 25 mil atletas e é um exemplo para todo Brasil".

A Central Única das Favelas (Cufa Goiás) realiza a Taça das Favelas Goiás que teve a primeira edição em 2012, no Rio de Janeiro.

O vice-governador Daniel Vilela frisou a convergência de objetivos e união em torno da população mais vulnerável.

"É uma demonstração do envolvimento dos goianos, enfim, do poder público, de todos juntos, porque o futebol promove inclusão, dá oportunidade a muitos talentos que estão nas comunidades", enfatizou.

"A gente valoriza a periferia e mostra que esses lugares não são de carência, e sim de potência. Nas favelas surgem os maiores desportistas do Brasil", ressaltou o presidente da Cufa Goiás, Breno Cardoso, que reforçou a característica do evento de criar oportunidades.
 
Campeões

Com placar de 4×1, a comunidade Orlando de Morais, de Goiânia, foi a campeã após vencer o time de Quilombola Boa Nova, de Professor Jamil, na categoria masculina.

Pela final feminina, a comunidade Gentil Meireles, também da capital, venceu por 7×1 o time de Monte Azul, de Senador Canedo.

Caiado comemora com a equipe masculina da comunidade Orlando de Morais vencedora da Taça das Favelas Goiás (Foto: André Saddi)

Cada campeão levou um cheque de R$ 2 mil. Já cada vice-campeão recebeu R$ 500.

Edição: Emerson Tormann | Atualidade Politica
Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Comentários ofensivos serão deletados.

Postagem Anterior Próxima Postagem