Bio Caldo - Quit Alimentos

Produção recorde de ouro compensa redução no cobre

Produção recorde de ouro impulsiona resultados da Ero Copper no terceiro trimestre
Produção recorde de ouro impulsiona resultados da Ero Copper no terceiro trimestre - Foto / Divulgação

Estratégia de cobertura cambial da Ero Copper em resposta a desafios econômicos


A Ero Copper produziu 10.766 toneladas de cobre no terceiro trimestre e 17.579 onças de ouro. A produção recorde de ouro e as margens operacionais nas Operações de Xavantina compensaram parcialmente a menor produção de cobre nas Operações da Caraíba, bem como o impacto do real mais forte em relação ao dólar americano. O Lucro líquido atribuível aos proprietários da empresa atingiu US$ 2,5 milhões (US$ 0,03 por ação em base diluída), enquanto o Lucro líquido ajustado atribuível aos proprietários da empresa foi de US$ 17,3 milhões (US$ 0,18 por ação em base diluída). O Ebitda ajustado alcançou US$ 42,9 milhões.

No trimestre, a Ero atingiu a marca de construção de mais de 70% de conclusão física no projeto Tucumã. A estimativa total de capital do projeto permanece inalterada, em aproximadamente US$ 305 milhões. Na Operação Caraíba, a construção do novo poço externo da Mina Pilar avançou dentro do cronograma. As despesas de capital planejadas sob contrato ou em fase final de negociação permanecem em aproximadamente 80%, com as estimativas atuais dentro de 5% do orçamento. A produção do novo veio Matinha começou nas Operações de Xavantina, contribuindo para um aumento trimestral de mais de 40% tanto para os tipos de ouro processado quanto para a produção de ouro, bem como para custos operacionais unitários recordes.

A liquidez disponível no final do trimestre, de US$ 237,6 milhões, incluía caixa e equivalentes de caixa de US$ 44,8 milhões, investimentos de curto prazo de US$ 42,8 milhões e US$ 150,0 milhões de disponibilidade não sacada sob a linha de crédito rotativo com garantia sênior da empresa.

Após o encerramento do trimestre, a Ero Copper celebrou um termo vinculativo com a Vale Base Metals para obter uma participação de 60% no projeto de cobre Furnas, após a conclusão de vários marcos de exploração, engenharia e desenvolvimento durante um período de cinco anos a partir da assinatura de um acordo definitivo de ganho. A empresa considera que é uma oportunidade de expandir o pipeline de crescimento de longo prazo na Província Mineral de Carajás, sede do Projeto Tucumã, no Pará. A parceria deverá alavancar os pontos fortes coletivos da empresa e da VBM, ao mesmo tempo que avança a posição do Brasil como líder na transição energética global.

"2023 continua a ser um ano crucial para a Ero Copper, à medida que nossos projetos de crescimento de curto prazo atingem marcos críticos e continuamos a definir e ampliar nosso pipeline de crescimento de longo prazo", disse David Strang, CEO da companhhia. "Essa execução estratégica ficou evidente nas Operações de Xavantina, onde iniciamos com sucesso a produção do veio Matinha durante o trimestre, resultando em produção de ouro e margens operacionais recordes. 

Também obtivemos progressos substanciais em nosso Projeto Tucumã, conforme anunciado no início deste mês, e avançamos em nossa iniciativa Pilar 3.0 nas Operações Caraíba, onde estamos quase concluindo o projeto de expansão da usina e nos preparando para iniciar o afundamento principal do novo poço externo".

A mineradora avançou também no pipeline de crescimento de médio e longo prazo por meio de programas regionais de exploração de cobre e níquel nas Operações Caraíba e, mais recentemente, da assinatura de um termo vinculativo para ganhar 60% na operação de Furnas da VBM.

"Apesar desses importantes avanços estratégicos, bem como do sólido desempenho operacional em nossas operações na Caraíba durante o trimestre, nossos resultados financeiros foram impactados por condições econômicas mais amplas que levaram a preços de metais mais fracos e um real mais forte em relação ao dólar norte-americano. Com a proteção fornecida pelas coberturas de preços do cobre que estabelecemos no início deste ano, optámos por expandir oportunisticamente o nosso programa de cobertura cambial para cobrir uma parte significativa dos custos operacionais e despesas de capital projetados até ao final de 2024", disse Strang.

Com informações de Brasil Mineral
Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Comentários ofensivos serão deletados.

Postagem Anterior Próxima Postagem