Bio Caldo - Quit Alimentos

Rodoviários do DF aprovam greve para esta segunda-feira (6/11)

Decisão foi tomada em assembleia realizada neste domingo (5). Categoria reivindica renovação do Acordo Coletivo de Trabalho, reposição salarial e ganho acima da inflação. Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília.
Terminal de ônibus vazio com a greve dos rodoviários -  Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília.

Pedindo reajuste salarial com ganhos acima da inflação, rodoviários do DF aprovaram a greve da categoria a partir desta segunda (6/11)

Os rodoviários do Distrito Federal aprovaram o início da greve da categoria, a partir desta segunda-feira (6/11). A decisão foi tomada durante assembleia na manhã deste domingo (5/11). Os trabalhadores reivindicam, desde agosto, um acordo coletivo com as empresas de transporte público para conseguir um reajuste salarial, com ganhos acima da inflação.

Decisão foi tomada em assembleia realizada neste domingo (5). Categoria reivindica renovação do Acordo Coletivo de Trabalho, reposição salarial e ganho acima da inflação

Nesse sábado (4/11), os trabalhadores receberam uma proposta prevendo reajuste de 5,33% nos salários, no plano de saúde e no plano odontológico, além de reajuste de 8% no tíquete alimentação e de 10% na cesta básica. No entanto, a categoria considerou que os índices propostos não foram satisfatórios e optou pela paralisação.

Segundo o Sindicato dos Rodoviários do DF (Sinttrater) a proposta de reajuste salarial, deveria ter sido apresentada até agosto, mas as empresas alegam que sem a ajuda do GDF não podem propor nenhuma melhoria salarial.

Agora, a direção Sindicato se organiza para divulgar as orientações para os rodoviários e apontar como funcionará a greve. "A categoria rejeitou a proposta apresentada e agora só nos resta ir pra luta, para atender a vontade dos trabalhadores. Esperamos sair vitoriosos", disse o presidente da entidade, João Dão.

"A Central Única dos Trabalhadores (CUT) está junto com o sindicato e com a categoria, desejando que um acordo chegue, para que a população não seja penalizada com a falta de transporte público, que já é precário no Distrito Federal. Mas a Justiça deve ser feita, e a categoria dos rodoviários precisa ser valorizada e seu pleito, atendido", comenta Rodrigo Rodrigues, presidente da CUT-DF.

A diretoria do Sindicato dos Rodoviários do DF informou que vai colocar diretores em pontos estratégicos e nas portas das empresas, para garantir a maior adesão à greve.

Ao Metrópoles, o Metrô garantiu que vai rodar com "o máximo de sua capacidade, reforçar o quadro de pessoal nas estações de maior fluxo e, caso necessário, estenderá o pico para transportar os usuários".

Emerson Tormann

Técnico Industrial em Elétrica e Eletrônica com especialização em Tecnologia da Informação e Comunicação. Editor chefe na Atualidade Política Comunicação e Marketing Digital Ltda. Jornalista e Diagramador - DRT 10580/DF. Sites: https://etormann.tk e https://atualidadepolitica.com.br

Postar um comentário

Comentários ofensivos serão deletados.

Postagem Anterior Próxima Postagem