Bio Caldo - Quit Alimentos

Brincadeira perigosa: Equatorial Goiás alerta sobre riscos de empinar pipa próximo da rede elétrica

 


Desde o começo do ano concessionária registrou impacto para mais de 28 mil clientes com pipas que caíram na fiação 

  

Com o fim do período chuvoso e o aumento dos ventos e da seca, a brincadeira com pipas se torna mais frequente nas cidades goianas. No entanto, essa diversão pode ser extremamente perigosa quando feita de forma irresponsável. Desde o começo do ano, o Centro de Operação Integradas da Equatorial Goiás (COI) registrou 213 ocorrências envolvendo pipas que acabaram encostando na rede de energia elétrica e interrompendo o fornecimento para alguns clientes. 

  

As cidades com maior número de ocorrências este ano são Goiânia, Aparecida de Goiânia, Planaltina, Senador Canedo e Anápolis. O gerente do COI, Vinicyus Lima, explica que, além do risco do rompimento de cabos, as linhas que ficam enroscadas na rede provocam desgaste da fiação, podem ocasionar curtos-circuitos e até choques elétricos. "Nesses casos, equipes da distribuidora são mobilizadas imediatamente para realizar os reparos necessários e restabelecer o serviço o mais rápido possível", afirma Vinicyus. 

  

Ao todo, 28.204 clientes no estado foram afetados pela falta de energia causada por incidentes com pipas desde o começo do ano. Esse cenário exige a realocação de recursos e equipes para retirar as pipas, realizar reparos e substituir partes dos fios danificados. A maioria das interrupções no fornecimento de energia está relacionada ao uso de linhas com cerol, também conhecidas como linhas chilenas. A formulação do cerol geralmente contém uma substância que provoca curtos-circuitos e choques. Essas linhas também representam um risco para ciclistas, motociclistas e a população em geral. "Se a pipa ficar presa em um componente da rede elétrica, a pessoa pode levar um choque de até 34.500 volts. É fundamental que os pais orientem seus filhos para evitar acidentes que podem ser fatais", alerta o gerente. 

  

Vale lembrar que o uso de cerol ou da "linha chilena" é considerado crime pelo Código Penal Brasileiro. Além disso, no Estado de Goiás, a lei nº 21.079, de 8 de setembro de 2021, proíbe o uso, armazenamento, fabricação e venda de linhas com cerol. 

  

Algumas dicas para soltar pipas com segurança: 

 

• Não soltar pipas/arraias perto da rede elétrica. A linha pode conduzir a energia e provocar queimaduras; 

• Escolha lugares abertos e espaços livres, como praias, campos de futebol, praças e parques; 

• Se a pipa enroscar nos fios, nunca tente usar varas ou subir em postes para retirar; 

• Não use material ou fio metálico para fazer pipas, pois conduzem eletricidade; 

• Os “temperos” das linhas, feitos com vidro moído, também são extremamente perigosos, pois podem cortar os fios elétricos; 

• Evite a utilização de “rabiolas”, pois elas agarram nos fios elétricos, desligando o sistema e provocando choques, muitas vezes fatais;  

• É aconselhável ter sempre um adulto responsável acompanhando as crianças no momento da brincadeira; 

• Atenção com motos e bicicletas. A linha pode ser perigosa para quem dirige estes veículos; 
• Ao verificar pipas presas à rede elétrica, entre em contato com a Equatorial por meio dos canais de atendimento: Aplicativo Equatorial Goiás, disponível para download no Android e iOS; Agência virtual no site 
www.equatorialenergia.com.br ou pelo Call Center 0800 062 0196; 

 

  

Em caso de acidente envolvendo a rede elétrica 

 

– O local deve ser isolado para que não haja aproximação de outras pessoas;  

– Não se deve retirar objetos ou pessoas que estejam em contato com fios da rede elétrica até que um profissional qualificado assegure que a energia foi desligada;  

– Acionar imediatamente o Corpo de Bombeiros, por meio do número 193, e a Equatorial Goiás, pelo 0800 062 0196. 

 

Sobre a Equatorial Goiás   

 

A Equatorial Goiás é uma empresa que pertence à holding Equatorial Energia, 3º maior grupo de distribuição de energia do País, com 7 concessionárias que atendem mais de 14 milhões de clientes. Somente em Goiás são cerca de 3,5 milhões de clientes, localizados em 237 municípios do Estado e abrangendo 98,7% do território estadual, com cobertura de uma área de 336.871 km².   

 

 

Postar um comentário

Comentários ofensivos serão deletados.

Postagem Anterior Próxima Postagem