IESB

INCA revela que 80% a 90% dos casos de câncer têm relação a causas externas

Cereais
Divulgação Jasmine Alimentos

No Dia Mundial de Combate ao Câncer (4 de fevereiro), especialistas alertam: existem alimentos que alimentam o câncer

Como já dizia Hipócrates, “que seu remédio seja seu alimento e que seu alimento seja seu remédio”. Há muitos anos, a humanidade conhece os benefícios de uma alimentação balanceada e saudável. O hábito regrado é o verdadeiro princípio de uma boa saúde e bem-estar. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA), a nutrição inadequada é uma das maiores causas preveníveis de câncer. Uma dieta pobre em verduras, legumes e frutas e abundante em gorduras de origem animal, produtos industrializados, açúcar e sal está relacionada à maior incidência geral de tumores que prejudicam a saúde do indivíduo. 

Atentar às escolhas alimentares é uma das estratégias mais importantes de autocuidado e prevenção ao surgimento de doenças, não apenas neste 4 de fevereiro, Dia Mundial de Combate ao Câncer. “Alimentos in natura, como verduras, legumes, frutas, oleaginosas, grãos e raízes, contribuem para a manutenção da saúde. Entretanto, preparações com alguns desses alimentos, como conservas, têm evidências que colaboram com a patogênese, devido à presença de nitritos e nitratos. Alguns estudos sugerem também que o excesso do consumo de carne vermelha pode aumentar o risco de câncer. As carnes processadas, por exemplo, já foram apontadas como cancerígenas pela OMS”, explica a nutricionista e consultora da Jasmine Alimentos, Dra. Adriana Zanardo.

Alimentos nocivos à saúde 

Diversos alimentos contêm substâncias cancerígenas que têm a capacidade de estimular a multiplicação celular de forma desenfreada e alterar o DNA celular, aumentando a chance do crescimento e desenvolvimento de células neoplásicas. “Os nitritos e nitratos presentes em alguns tipos de conservas e carnes processadas são altamente nocivos à saúde. Álcool e cigarro também são considerados cancerígenos”, pontua a nutricionista. 

Além da ingestão de certos tipos de alimentos, o excesso de peso está relacionado ao desenvolvimento do câncer pelo aumento da inflamação corporal. Isso se deve ao fato do estado pró-inflamatório colaborar para a multiplicação celular errônea. “Uma das explicações é que os níveis aumentados de insulina (comumente vistos em indivíduos com sobrepeso e obesidade) ativam uma enzima chamada PI3K. Essa enzima apresenta uma atividade exacerbada em diferentes tipos de câncer”, complementa Dra. Adriana. 

Qualidade nutricional: alimentos que previnem o câncer

Segundo o INCA, os principais tipos de câncer que acometeram a população brasileira em 2021 foram próstata, mama, cólon e reto, colo do útero e pulmão. Como a “comida de verdade” é a maior aliada e fonte de saúde, a nutricionista e consultora da Jasmine preparou algumas dicas práticas de quais alimentos priorizar em cada caso. “Além da base onipresente de verduras, legumes, frutas, oleaginosas, grãos, raízes e água no cardápio do dia a dia, existem alguns alimentos importantes que devemos priorizar”, explica. 

  • Câncer de Próstata: alimentos fontes de betacaroteno (cenoura, abóbora, manga, alimentos amarelo-alaranjados); licopeno (presente no tomate e, principalmente em preparações quentes porque é mais biodisponível com o calor); selênio (castanhas e sementes), e vitaminas D e E (castanhas, sementes e abacate).
  • Câncer de Mama: alimentos fontes de lignanas (presente na linhaça) e alimentos fontes de ômega 3 (castanhas, sementes de linhaça e chia, azeite de oliva, abacate, salmão, atum e truta).
  • Câncer de Cólon e Reto: alimentos fontes de fibras (verduras, legumes, frutas e grãos).
  • Câncer de Colo de Útero: alimentos ricos em vitaminas A, C e E (laranja, acerola e abacaxi). 
  • Câncer de Pulmão: vegetais crucíferos (brócolis, couve-de-bruxelas, repolho, couve-flor e couve), e alimentos fontes de betacaroteno e ricos em vitamina C (frutas cítricas, alimentos amarelo-alaranjados e iogurte). 

“Vale lembrar que as funções desempenhadas pelos alimentos dependem dos nutrientes que eles possuem. Para preservar esses benefícios nutricionais, precisamos atentar para as formas de produção e manejo desses alimentos. Uma dica que sempre destaco é: leia atentamente os rótulos para verificar a composição de ingredientes do produto em questão e se certificar que você está adquirindo um produto saudável e com reais propriedades nutricionais”, lembra a gerente de P&D da Jasmine Alimentos, Melissa Carpi. 

Além dos tipos de câncer mencionados, existem outros tumores frequentemente relacionados à alimentação inadequada, sendo a maior parte deles localizada em órgãos do sistema digestivo. “Outras evidências científicas relacionam a má alimentação ao câncer de boca, faringe e laringe, estômago, esôfago, endométrio, pâncreas, vesícula biliar, fígado e rim”, explica a nutricionista. 

Além de atentar ao que se põe à mesa, ter um estilo de vida saudável colabora para a prevenção do câncer, visto que muitas doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) são fatores de risco. Hábitos como praticar atividade física, dormir bem - tanto em relação ao número de horas como em qualidade do sono -, manter-se hidratado, manejo do estresse e realizar exames de rotina são importantes para a prevenção.

 

Sobre a Jasmine Alimentos

A Jasmine Alimentos é uma empresa referência em alimentação saudável. Com produtos categorizados em orgânicos, zero açúcar, integrais e sem glúten, a marca visa atingir o público que busca alimentos saudáveis de verdade e qualidade de vida. A operação da Jasmine começou de forma artesanal há 30 anos, no Paraná. A Jasmine está consolidada em todo Brasil e ampliando sua atuação para a América Latina. Desde 2014, a marca pertence ao grupo francês Nutrition et Santé, detentor de outras marcas líderes no segmento saudável na Europa. Mais informações: www.jasminealimentos.com. 


 

Postar um comentário

Comentários ofensivos serão deletados.

Postagem Anterior Próxima Postagem